Pomar Polo Sul: empreendedorismo na área de citricultura em Uruguaiana

A Associação Comercial e Industrial de Uruguaiana (Aciu), incentivando as iniciativas que promovem o crescimento de nossa região, convidou a equipe do Pomar Polo Sul para apresentar o trabalho que a empresa vem desenvolvendo no município. O objetivo foi mostrar a qualidade dos produtos e a potencialidade do comércio de cítricos em Uruguaiana, capaz de tornar uma pequena propriedade autossuficiente economicamente. O encontro foi realizado no auditório da instituição, na quinta-feira (27/04).

De acordo com o diretor do Pomar Polo Sul, Homero Rodrigues de Freitas Neto, a ideia de tornar produtiva a pequena propriedade rural da família, surgiu em 2011, através do “Projeto de Citricultura de Uruguaiana”, do Executivo Municipal. Ele lembra que o pontapé inicial teve apoio e incentivo de profissionais da área, os quais garantiram que Uruguaiana está localizada numa área com potencialidades para o cultivo de cítricos, possuindo características como: solo fértil com equilíbrio de micro e macros nutrientes, boas variáveis agroclimáticas e grandes amplitudes térmicas, entre outras. Além destas qualidades indispensáveis para o cultivo, Freitas diz que Uruguaiana possui a vantagem de possuir a mão-de-obra qualificada, potencializando assim as vantagens comparativas naturais do Rio Grande do Sul.

O desafio deu certo e hoje, com 98 hectares cultivados, Freitas pode afirmar que o município de Uruguaiana tem vocação e as condições necessárias para se tornar um grande produtor de citros de mesa, assegurando que há um déficit produtivo em todo território brasileiro.

Cítricos de qualidade

Segundo o citricultor, atualmente as frutas do Pomar Polo Sul, com a qualidade exigida pelos mercados nacionais e internacionais, já garantiram a entrada dos cítricos no mercado de Uruguaiana, como o Supermercado Rispoli, Postos São Matheus e diversos restaurantes, além da rede Walmart. Para agregar valor ao produto, disse que os produtos no mercado possuem etiqueta com todas as informações nutricionais. Assegurou ainda que a colheita manual garante que as frutas não sejam machucadas. “Se comparadas com outras variedades comercializadas, o consumidor vai perceber que as frutas são de alta qualidade (frutas seletas), com maiores concentrações de água, fibras, vitaminas, sais minerais, frutose, carboidratos e proteínas”, declarou. Ressaltou ainda que as variedades são escalonadas em precoces médias e tardias, que vão de março a dezembro, garantindo a distribuição de frutas frescas ao mercado e evitando estocagem e perda de características organolépticas. “A qualidade somada ao apelo de serem produtos da terra, geram empregos na cidade, fazendo o dinheiro circular aqui em Uruguaiana”, destaca.

PackingHouse

O objetivo do Pomar Polo Sul é, futuramente, evoluir a infraestrutura e melhorar ainda mais a qualidade das frutas. A ideia, segundo Freitas, é instalar em 2018 uma unidade de beneficiamento, ou seja, um “PackingHouse”, com estocagem de frutas em câmara fria e logística. “Tudo otimizando a mesma área que utilizamos para o plantio, prevenindo e evitando qualquer dano físico que venha a comprometer a qualidade da fruta. Este empreendimento trará, literalmente, bons frutos para a nossa terra e para o desenvolvimento de Uruguaiana”, finaliza.

Redação: Giovana Petrocele

Fotos: Página Pomar Polo Sul / Comunicação – Aciu

Categorias: ACIU

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.